10 de jul de 2011

 Sadhana

Coloco flores na janela para perfumar o mundo.
Sinto-me grato.
Acendo uma vela enquanto olho para a foto da minha Guru e percebo que ela sorri. Será para mim? Minha Guru está sempre sorrindo. Seu sorriso é sempre terno e cheio de compaixão. Ela é minha Guru.
Na manhã de hoje acordei com uma intuição profunda de que eu deveria cantar. Mas só percebi isso quando alguém que amo muito disse: por que você não canta o Guru Gita hoje?
Coloco o Mantra do Guru e começo a preparar meu desjejum. Quando o cântico se inicia, eu começo a chorar. Fico um pouco assustado e surpreso e me pergunto qual o motivo para estar chorando. Esqueço a fome e me entrego ao canto.
Nesse estado interior de reflexão, catarse e gratidão passo a manhã deste dia.
Uma brisa traz o perfume das flores e faz a chama da vela oscilar levemente. Ouço em minha mente as palavras da Guru: “A vida ampliará o que você oferecer à vida.”

Sadgurunäth mahäräj kï jay!