27 de mar de 2012

Motim

O coração não bate: 
virou uma pedra 
que a si própria quer lançar.

Pensa em achar alguém, 
porque só resta bater-se. 
Há uma fúria que extrapola a carnadura.

A pedra pesa no corpo
como um botão de rosa vergando o caule: 
bate a sua dureza.

(Diogo Borges)


Poema extraído do meu livro Poemas de um Amor Partido

Um comentário:

Deanna disse...

Muito boa poesia! Gostei do blog tb, a começar pelo nome =)